Greve de caminhoneiros faz Governo convocar Forças Federais

A greve de caminhoneiros já chegou ao 5º dia e não há outro jeito para o Governo. Este decide acionar forças federais para o desbloqueio de estradas.

Ocorre que a falta de combustível acarreta o fechamento ou filas quilometricas nos postos de abastecimento, como consequência, houve redução de frota de ônibus, falta de alimentos em comércios, interdição de 11 aeroportos, além de atingir drasticamente a área da saúde, pois os hospitais tendem a suspender e cancelar cirurgias, exames e demais procedimentos.

As manifestações acotecem nos 26 estados Brasileiros devido à mobilização contra o abusivo  preço do diesel, o que participa da política de preços da Petrobrás de 2017.  Michel Temer, atual presidente do Brasil, anunciou que disse que as forças federais foram convocadas para desbloquear as estradas.

Na  noite de ontem (quinta-feira, 24) houve a anunciação da proposta entre o governo federal e os representantes de caminhoneiros visando suspender a greve pelo período de 15 dias, depois de uma reunião que durou mais de seis horas. Eliseu Padilha, Carlos Marun, Eduardo Guardia e Eduardo Guardia, ministros  respectivos secretários da Casa Civil, Governo, Fazenda e Transportes se responsabilizara po zerar o CIDE e reduzir o valor do diesel em 10% por trinta dias. Contudo, a paralisação permanece nesta sexta-feira (25).

Raul Jungmann, ministro da Segurança Pública, alega que há indícios de uma aliança entre empreas de transportes e caminhoneios com o objetivo de pressionar o Governo a reduzir o valor do diesel e que a Polícia Federal já está no processo de investigação dessa hipótese.

Apesar de ser uma causa nobre e justa, a greve tem resultado em consequências graves por todo o país, como a redução das frotas de ônibus em inúmeras cidades. Em São Paulo, por exemplo, houve a decretação de calamidade pública e emergência.

A Grande SP está enfrentando falta de combustível e filas intermináveis para a tentativa de abastecimento. Em Itapevi, por exemplo, foi decretado a venda de combustível apenas para ambulâncias.

No Distrito Federal, um caminhão-tanque precisou ser escoltado até o posto. Há falta de combustível nos aeroportos de Recife e Brasilia, totalizando oito aeroportos sem abastecimento.  Em Rondônia, já há racionamento de energia em consquência da greve em nove de suas cidades. No restante do país, mais de dez universidades federais suspenderam as aulas.

Leia também: Museu do Negro comemora 25 anos com exposição, música e dança no ES

No Litoral Paulista, as coisas também não estão progredindo. O acesso ao Porto de Santos permanece bloqueado, tal como a travessia entre São Sebastião e Ilhabela funciona apenas com uma balsa.  A cidade de Santos também acabou por cancelar a vacinação pelos mesmos motivos.

A Cidade de Porto Alegre suspendeu linhas de ônibus no domingo, para economizar o combustível, enquanto Presidente Prudente determinou que a partir das 14h de sábado não deve ter trânsitação de transportes até domingo.

O protesto dos caminhoneiros recebe apoio também de taxistas, motoristas de vans escolares, mototaxistas e até de caçambeiros.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *