Eleições em outubro. É possível não tê-las?

Embora haja políticos da cúpula do país – Senado e Congresso – com apoio de Ministros do Supremo Tribunal Federal, inclusive da própria presidente do TSE – Tribunal Superior Eleitoral, em manter as eleições em outubro próximo, insistir nessa linha é um ato irresponsável, já que é consenso dessas personalidades de altíssimo padrão o compartilhamento da opinião da rede globo: “ficar em casa”. Com certeza, em sua maioria, tratam-se de milionários que se auto sustentam – boa parte com o dinheiro do povo – podendo ficar meses sem sentir o impacto da pandemia.
Do outro lado, pessoas normais fizeram malabarismo pra conseguir passar os primeiros dias da quarentena, e em sua prorrogação uma nova realidade começa a surgir ao transparecer um futuro incerto. E assim, triste adaptação requer demissões, paralisações em serviços, inadimplências em compromissos, entre outros. Ainda, na parte mais fraca o trabalhador final e mesmo o desempregado, não consegue suprir suas necessidades básicas com apenas o auxílio emergencial. Enfim, essa é uma realidade inimaginável até há pouco tempo.
Sabe-se que é um problema mundial, com efeitos em todo o mundo que pode se agravar nos próximos dias. E, a maioria dos especialistas defende ser necessário o isolamento social e alguns até mesmo o total, como sendo extensivo ao segundo semestre do ano.
Nesse contexto, há países como França, Bolívia e outros, que cancelaram suas eleições em razão da pandemia provocada pelo COVID-19, e muitos outros estão igual ao Brasil, empurrando pra frente na pura incerteza.
Se é para conter o avanço da pandemia, nada justifica manter as eleições em outubro próximo. Percebe-se claramente que o “foco” está no dinheiro do Fundo Partidário, afinal são 2 Bilhões de reais, que vão para as mãos dos presidentes de partido político, que administram da forma que acham necessário, pois, a legislação – que eles próprios criaram -, permitem esse manuseio. E, deixar esse dinheiro não é do agrado dos caciques que detém o poder.
Enfim, a única forma reversiva seria um movimento nas ruas, pedindo para usar o dinheiro do Fundo Partidário no combate do coronavírus, através do cancelamento das eleições em 2020. Mas, porém, contudo, é claro que isso está na lista das “causas impossíveis”.
Assim, que os pré-candidatos se preparem para às eleições em outubro, sabendo que não poderá fazer reunião, nem trazer pessoas nas convenções, nem visitar eleitores em suas casas, etc. Tem que reservar o risco para o dia das eleições ou pagar a multa por não ir.

Share This:




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *