Idosa tenta devolver mais de R$ 6 mil transferidos de conta desconhecida há duas semanas no litoral de SP

Aposentada afirma que percebeu a quantia na conta durante uma prova de vida do INSS. Dinheiro entrou na conta em duas transferências.

Uma idosa de 66 anos está tentando há mais de duas semanas devolver R$ 6.243,76, após descobrir que o valor foi transferido de uma conta bancária desconhecida para a sua, em Praia Grande, no litoral de São Paulo. Segundo apurado pelo G1, o valor não foi solicitado por ela e, por isso, há o interesse em devolvê-lo. O caso está sendo investigado pela Polícia Civil como estelionato.

Ao G1, a aposentada, que preferiu não se identificar, contou que descobriu o depósito quando foi realizar uma prova de vida no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em meados de junho, e consultou a conta em que recebe o benefício. Ela percebeu que havia duas transferências, via TED, sendo uma de R$ 6.191,99 e outra R$ 51,77.

Após sair do INSS, ela entrou em contato com o Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) e com a ouvidoria do banco de origem do depósito, explicando que não havia solicitado o dinheiro, e que queria devolvê-lo. Posteriormente, a vítima recebeu dois e-mails informando que ela poderia devolver o valor via DOC ou TED. Além disso, ela notou que o código da agência era da financiadora do banco.

A idosa ainda relata que o banco dela está dificultando a devolução, pois afirma que a conta dela possui limite para fazer operações via TED. Em meio às dificuldades, ela decidiu procurar a Polícia Civil para tentar solucionar o problema. “Eu só fui na delegacia em função de toda essa situação. Me causa estranheza nesse sentido, eu só quero devolver, e estou tendo vários empecilhos”, explica.

Segundo a aposentada, já faz mais de 15 dias que ela tenta resolver a situação, mas acaba sendo “jogada” de um lado para o outro, por ambos os bancos. Sobre o ato de cidadania, ela acredita que todo mundo deveria fazer isso, caso ocorra. “É exatamente assim que as pessoas têm que ser. Eu sou cristã, e os mandamentos de Deus é o que sigo. O que não é meu, não é meu. Eu tenho que resolver a questão e devolver, porque não é meu”, finaliza.

O caso foi registrado no 1º DP de Praia Grande e está sendo investigado pela Polícia Civil. O G1 tentou contato com a Caixa Econômica Federal, banco em que a idosa tem conta, pedindo um posicionamento sobre o caso, mas até a última atualização desta reportagem não recebeu resposta..Fonte: G1.